17/06/16 - 12:20:36
43 visualizações
 
Entenda por que Diniz não quer nem ouvir uma proposta do Corinthians
Treinador tem forte ligação com dono do Audax e prometeu continuar no time após sucesso no Paulistão. Aval de proprietário poderia fazer técnico mudar de opinião
compartilhe:

 
 
 
 
 
Bastou o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade, elogiar o trabalho de Fernando Diniz e não descartar o nome do treinador de uma possível lista para substituir Tite, que deve ser anunciado oficialmente em breve pela CBF, para que inúmeras especulações surgissem em torno da provável chegada de Diniz ao Corinthians. Com mais de 70% dos votos em enquete realizada pelo GloboEsporte.com, o nome de Fernando Diniz é o preferido entre os torcedores corintianos para assumir o lugar de Tite.

Porém, apesar do cargo ser um dos mais cobiçados do futebol brasileiro, Fernando Diniz dificilmente deixará o comando do Oeste/Audax - os dois clubes firmaram parceria e dividem os custos e o elenco para a disputa da Série B, com com o departamento de futebol sendo controlado pelo staff de Osasco - para assumir o posto no Corinthians. Confira abaixo os motivos que "prendem" o treinador no audacioso projeto encabeçado pelo milionário Mário Teixeira, proprietário do Audax e um fã confesso do trabalho de Diniz.


AMIZADE

A forte relação com Mário Teixeira é o que mais pesa para que Fernando Diniz não aceite sequer ouvir qualquer proposta de outro clube neste momento. Apaixonado por futebol e membro do Conselho de Administração do Bradesco – um dos principais órgãos de comando do banco sediado em Osasco –, Teixeira possui, ao lado de empresários parceiros, cinco times de futebol – o Grêmio Esportivo Osasco, Audax-SP, Audax-RJ, Osasco FC e a equipe feminina do Audax, em parceria com o Corinthians – que empregam cerca de 150 atletas nos elencos profissionais, além de outros 300 garotos nas categorias de base.

Com a intenção de formar os jogadores para as suas equipes profissionais, Mário Teixeira viu na figura de Fernando Diniz o condutor ideal do projeto. O senso comum sobre o futebol fortaleceu a amizade entre eles. Além disso, Fernando Diniz é muito querido em Osasco. Formado em psicologia e sempre aberto a qualquer bate-papo, ele tem a simpatia de membros da comissão técnica e funcionários do clube, que mantém toda a sua estrutura de futebol no Oeste de Itápolis durante a Série D do Brasileiro.

Esses fatores são considerados fundamentais por Diniz, que realiza um trabalho com os funcionários do clube muito além das quatro linhas.

GRATIDÃO

O estilo de jogo adotado e praticado pelos times treinados por Fernando Diniz sempre causou certa resistência no meio da bola. Com Mário Teixeira e no Audax, ele teve o apoio e total liberdade para colocar o método em prática. Na primeira temporada na elite do Paulistão, o Audax teve campanha modesta. O estilo de jogo, com troca de passes e poucos chutões, chamava a atenção, mas era tratado com desdém.
Diniz deixou o clube após o Paulistão do ano passado para assumir o Paraná na Série B, sem sucesso. Em setembro, com o Audax eliminado precocemente da Copa Paulista, o técnico voltou a Osasco e começou a montagem do time finalista do estadual deste ano.

O respaldo dado pela diretoria da equipe de Osasco foi fator determinante para que Fernando Diniz abraçasse o projeto de parceria com o Oeste e topasse estar no comando do Audax no próximo Paulistão, como forma de reconhecimento pela confiança dada ao seu trabalho.

PALAVRA

Fernando Diniz recebeu inúmeras propostas após o término do Campeonato Paulista. Porém, optou por seguir com Mário Teixeira e à frente do projeto por mais um período. Do elenco que conquistou o vice-campeonato, são poucos os nomes que seguem com o treinador no Oeste. Porém, os jogadores que toparam dar continuidade no projeto foram convencidos por Diniz, que deu a palavra que não deixaria o clube neste momento, que tem como grande objetivo o acesso à Série A do Brasileiro, podendo pular algumas etapas, já que o Audax atualmente disputa a Série D e levaria ao menos três anos para chegar à elite sem a parceria com time de Itápolis.

A autonomia que tem nas decisões dentro de campo e o importante papel que desenvolve fora dele, fortalecem a relação entre Fernando Diniz e Mário Teixeira, que chegou a protagonizar uma discussão às vésperas da final do Paulistão, quando soube do acerto de Tchê Tchê com o Palmeiras através da imprensa. O mandatário não gostou da "traição", já que esperava o término do campeonato para discutir a permanecia ou não dos destaques da sua equipe.

O acordo entre Fernando Diniz e Mário Teixeira vai além de qualquer contrato assinado. Segundo o próprio treinador, a questão é a "palavra de homem". Mesmo tendo negado qualquer possibilidade de ouvir uma possível proposta do Corinthians, Fernando Diniz mudaria de ideia apenas se Mário Teixeira o liberasse para negociar com o Timão, o que dificilmente acontecerá.

Fonte: GE
 comentários:

 

 
 mais notícias:

28/06/16 - 23:21:52 - [PÓS-JOGO] Náutico 1 x 0 Luverdense - Série B 2016
ler notícia ler notícia
28/06/16 - 23:21:22 - [PÓS-JOGO] Sampaio Corrêa 3 x 1 Tupi - Série B 2016
ler notícia ler notícia
28/06/16 - 23:20:53 - [PÓS-JOGO] Vasco 1 x 2 Paraná - Série B 2016
ler notícia ler notícia
28/06/16 - 23:19:32 - [PÓS-JOGO] Londrina 1 x 0 Brasil Pelotas - Série B 2016
ler notícia ler notícia
28/06/16 - 23:19:06 - [PÓS-JOGO] Joinville 1 x 3 CRB - Série B 2016
ler notícia ler notícia